Parques Naturais e Zonas Protegidas de Angola

São 13 as Zonas de Protecção Integral da Natureza em Angola.
Os 82.000 Km² que ocupam, correspondem a 6,6 % da superfície do país, distribuídos por 6 Parques Nacionais, 1 Parque Natural Regional, 2 Reservas Naturais Integrais e 4 Reservas Naturais Parciais. Se considerarmos também 18 Reservas Florestais e diversas coutadas, atingimos 188.650Km².
A caça furtiva e a guerra civil (1975 a 2002), reduziram drasticamente a fauna existente: Na Quissama, de 450 leões em 1950, restavam 5 em 1997, enquanto os elefantes tinham passado de 1.200 para 20. Actualmente, com o projecto Arca de Noé estão a ser trazidos animais de outros países africanos para a Quissama.

Bicuar Búfalo Cameia Cangandala Cimalavera Ilhéu dos Pássaros Iona
Luando Luiana Mavinga Mupa
Namibe Quissama






Manatins Africanos

Quissama - Rio Cuanza

Parque Nacional da Quissama

Origem - Estabelecido como Reserva de Caça a 16-04-1938.
Classificação - Parque Nacional, II, desde 11-04-1957.
Localização - Norte de Angola, a 75 kilómetros de Luanda, entre o Oceano Atlântico, o rio Cuanza e o rio Longa.
Área - Ocupa 9.600 Km².
Limites Geográficos - 09 09' a 10 23' de Latitude Sul e 13 09' a 14 08' de Longitude Este.
Limites Naturais - Limitado a Norte pelo Rio Cuanza desde a Muxima até ao mar,  a Sul pelo Rio Longa desde a estrada Mumbondo-Capolo até ao mar,  a Oeste pela linha da costa entre a foz do rio Cuanza e a foz do Rio Longa e,  a Leste, pela estrada que vai da Muxima, Demba-Chio, Mumbondo e Capolo até ao Rio Longa.
Descrição - A vegetação varia muito das margens do Cuanza para o interior do Parque, com mangais, floresta densa, mosaico floresta-savana, floresta aberta e mata tropical seca com cactos e imbondeiros.
Não é de estranhar que uma tal variedade de vegetação resulte numa fauna abundante e variada. Existem Manatins Africanos (Trichechus senegalensis), Palancas vermelhas (Equinus de Hippotragus), Talapoins (Miopithecus talapoin) e Tartarugas marinhas. Existe também uma grande variedade de aves.

Visitantes - O Parque conta com um estabelecimento para visitantes junto ao Rio Cuanza, uma Pousada e vários bungalows. Está prevista a criação de um establecimento de luxo orientado para a pesca desportiva, a praia, cruzeiros no Cuanza, etc.



Palanca Negra Gigante pelo fotógrafo Jean Charles Pinheira

Parque Nacional da Cangandala

Origem - Estabelecido como Reserva Natural Integral em 25-05-1963
Classificação - Parque Nacional, II, desde 25-06-1970.
Localização- Está situado na província de Malanje.
Área - Ocupa 630 km².
Limites Geográficos - 09 09' a 10 02' de Latitude Sul e 16 34' a 16 52' de Longitude Este.
Limites Naturais - A Norte e Nordeste o Parque é delimitado pelos rios Camifundi, Cuije e Caculo. A Sul pelos rios Maubi, Candua e Camifundi. A Leste e Sudueste pelo Rio Caculo e Rio Cuije, Dumba Kicala, Picada Calamungia, Dumba Kicala, Maubi Calongo até aos rios Cuque e Lussa.
Descrição - A pluviosidade média anual é de 1350 mm e a temperatura é de 21,5°C. Não existem grandes cursos de água e a vida gira em torno dos charcos e lagoas que se formam durante a estação das chuvas.
A vegetação é composta por floresta aberta e savana seca.
A protecção da palanca negra gigante (Hippotragus niger) foi a razão principal da criação do Parque em 1963. A Palanca Negra Gigante foi descoberta em 1909 por Frank Varian, engenheiro belga do Caminho-de-Ferro-de-Benguela, e figura desde 1933 na lista das espécies "sob protecção absoluta" da Convenção para a Protecção da Fauna e Flora Africana.
Chegou a ser considerada extinta durante mais de 20 anos, em consequência do conflito armado, tendo sido redescoberta em 2005. Em 2009 foi localizada, capturada e marcada, encontrando-se actualmente sob protecção nove fêmeas e um macho no santuário do Parque Nacional de Cangandala.
O macho da Palanca Negra Gigante é de cor preta com manchas brancas na barriga e entre os cornos. Pesa entre 200 a 270 Kg e tem 1,9 a 2,50 metros de altura. As fêmeas são acastanhadas e têm os cornos menos desenvolvidos. O período de gestação é de nove meses, com uma cria por parto.



Búfalo Negro

Parque Nacional do Bicuar

Origem - Estabelecido como Reserva de Caça a 16-04-1938.
Classificação - Parque Nacional, II, desde 26-12-1964.
Localização - Província da Huíla.
Área - 7.900 Km².
Limites Geográficos - 14 55' a 15 36' de Latitude Sul e 14 14' a 15 19' de Longitude Este.
Limites Naturais - A Norte é o Parque é limitado pela picada que começa na Mulola Lumenha, passa por Mulola Chipula, Mulola do Mucope Pahapa, Mungaia até Mulola Mungarrafa e Mulola Cachila. A Sul, pela estrada da Chibemba dos Gambos ao Mulundo e Rio Cunene até Onguenha. A Oeste, pela parte norte de Chimbolelo, Ongolola-Cuoco até Mulondo-Chibemba. A Leste, pelo Rio Cunene até à foz da Mulola Lumenha.
Descrição - A temperatura sofre grandes variações entre o dia e a noite.
A vegetação predominante é a savana com árvores e arbustos.
O mamífero que caracteriza o Parque é o búfalo negro (Syncerus caffer caffer).
Existem também onças, leopardos, gnus (boi-cavalo), olongos (Strepsiceros strepsiceros - kudu), Inhalas (Kobus ellipsiprymnus - cabra de água), steenbuck (Raphicerus campestris) e changos (Redunca redunca).

Rinoceronte Negro

Parque Nacional de lona

Origem - Estabelecido como Reserva de Caça a 02-10-1937.
Classificação - Parque Nacional, II, desde 26-12-1964.
Localização- O Parque Nacional de Iona está situado no sul de Angola, na província do Namibe, entre o Oceano Atlântico e os rios Cunene e Curoca.
Área - Ocupa 15.150 km².
Limites Geográficos - 15 44' a 17 16' de Latitude Sul e 11 44' a 13 14' de Longitude Este.
Limites Naturais - Limitado a Norte pelo Rio Curoca, a Sul pelo Rio Cunene, a Oeste pelos Rios Cunene e Curoca e, a Leste, pelo Rio dos Elefantes.
Descrição -O Parque Nacional de Iona estende-se das dunas de areia junto ao mar, até às montanhas Tchamalinde, a Leste. O centro do Parque é de planícies abertas. A pluviosidade média anual varia entre 100 mm a 500mm, aumentando à medida que nos afastamos do mar. Existem trinta e uma fontes naturais dentro do Parque.
Há três tipos de vegetação: anharas, dunas com arbustos e planície de savana com pequenos arbustos. Abunda a welvitschia mirabilis, planta que pode atingir mais de mil anos de vida.
O antílope emblemático do Parque é a palanca negra gigante (Hippotragus niger), praticamente extinta, mas existem outros mamíferos como o elefante, olongo (Strepsiceros strepsiceros - kudu), leão, rinoceronte negro, onça, hiena, guelengue (Oryx gazella blainei) e várias espécies de zebras.
Visitantes - Começou em 2001 a receber visitantes, em viagens organizadas a partir da Namíbia.


Boi-cavalo

Parque Nacional da Cameia

Origem - Estabelecido como Reserva de Caça a 06-04-1935.
Classificação - Parque Nacional, II, desde 11-12-1957.
Localização- Província do Moxico.
Área - Ocupa 14.450 km².
Limites Geográficos - 11 17' a 12 30' de Latitude Sul e 20 45' a 22 36' de Longitude Este.
Limites Naturais - O Parque é limitado a Este pelo rio Zambeze, a Sul pelo rio Luena e a Oeste pela linha do Caminho de Ferro de Benguela, que o atravessa a Norte.
Descrição - A pluviosidade média anual é de 1145 mm e a temperatura é de 20,8° C. Os rios Zambeze, Luena e Chifumage, além dos charcos formados pelas chuvas, alimentam o Parque.
Os mamíferos mais abundantes são o gnu ou boi-cavalo, Tsessebe (Damaliscus lunatus lunatus), lechwe (Kobus leche), chango (Redunca redunca), javali (Phacochoerus aethiopicus), leão e onça.



Girafas

Parque Nacional da Mupa

Origem - Estabelecido como Reserva de Caça a 16-04-1938.
Classificação - Parque Nacional, II, desde 26-12-1964.
Localização-Está situado na província do Cunene, entre o Rio Colui e o Rio Cunene.
Área - Ocupa 6.600 km².
Limites Geográficos - 15 17' a 16 40' de Latitude Sul e 15 10' a 16 00' de Longitude Este.
Descrição - A paisagem é de colinas, com uma pluviosidade anual de 620 mm e temperatura média de 22,8° C.
Há três tipos diferentes de vegetação: mosaico floresta-savana, floresta aberta e savana seca com arbustos.
Apesar deste Parque ter sido criado em 1964 para proteger a Giraffa camelopardalis angolensis, crê-se que em 1974 já não existia nenhuma. Os mamíferos que caracterizam o Parque são a cahama, o leão, leopardo e a hiena.


Cimalavera

Zebras

Parque Regional da Cimalavera

Origem - Estabelecido como Reserva Especial a 05-06-1971.
Classificação - Parque Natural Regional, V, desde 15-04-1974.
Localização- A 20km Benguela, para sudeste.
Área - Ocupa 112 km².
Limites Geográficos - 15 44' a 12 16' Latitude Sul e 11 44' de Longitude Este.
Limites Naturais - O Parque é limitado a Norte pela estrada que vem da Fazenda Santa Teresa e pelo Rio Marimbondo até à estrada de Canguengue-Chipupa. A Leste é limitado pela estrada Canguengue-Chipupa, desde o Morro Techima até às coordenadas 13 08 55 E, 13 19 54 S. A Sul e Oeste é limitada por uma linha quebrada, definida pelas coordenadas 13 08 55 E, 13 51 54 S, 13 08 55 E, 13 19 54 S, 13 05 44 E, 13 50 42 S.
Descrição - com uma altitude que vai dos 50 aos 265 metros, Chimalavera compreende uma planície elevada rodeada por montanhas. Dentro da reserva não existem rios nem lagos à superfície. A temperatura média anual é de 23.5°C e a humidade de 77%. O mês mais frio é Julho, com uma média de 19.4°C, e o mais quente é Março, com 26.8°C. Chove em média 45 dias por ano, num total de 305mm.
O tipo de vegetação dominante é a estepe sublitorânea com algumas espécies de Acácias.
Os mamíferos mais abundantes são o macaco da savana, o chacal, as zebras e as cabras de leque (Antidorcas marsupialis).
Em Janeiro de 2010 foram inauguradas dentro do parque áreas de lazer para turistas.



Palanca Negra Gigante

Reserva do Luando

Origem - Estabelecido como Reserva de Caça a 16-04-1938.
Classificação - Reserva Natural Integral, IV, desde 11-12-1957.
Localização- Está situado na província de Malanje, entre os rios Luando, Cuanza e Luasso.
Área - Ocupa 8.280 km².
Limites Geográficos - 10 14' a 11 56' de Latitude Sul e 16 26' a 18 04' de Longitude Este.
Limites Naturais - Limitado a Norte pelo Rio Luando, a Sul pelo limite da Província de Malange entre os rios Cuanza e Luando e a Oeste pelo Rio Cuanza até ao Rio Luando.
Descrição - A pluviosidade média anual é de 1350 mm e a temperatura é de 21,5° C.
Existem dois tipos de vegetação dominante: floresta aberta e savana com árvores e arbustos.
Os mamíferos mais abundantes são o puku, lechwe (Kobus leche), palanca negra gigante (Hippotragus niger) e a inhala (Kobus ellipsiprymnus - cabra de água). O Parque de Luando é também conhecido como o paraíso das aves.


Mangais

Reserva Natural do Ilhéu dos Pássaros

Origem - Estabelecida como Reserva Natural Integral a 21-12-1973.
Classificação - Reserva Natural Integral, IV.
Localização - Situada 8 km a sul de Luanda.
Área - Ocupa 1,7 km².
Limites Geográficos - 08 55 45" a 08 56 23" de Latitude Sul e 13 08 01" a 13 08 42" de Longitude Este.
Limites Naturais - Limitada a Norte pela faixa marítima dos 80 metros, desde o marco 1 do foral de 1966 até à ponta do Caluca. Limitada a Oeste pela faixa marítima desde a ponta de Caluca até à foz do Rio Mondo, seguindo o seu curso até à estrada E.N. Benguela-Namibe. A Nordeste é limitada por uma linha quebrada que liga os marcos farol 5, 4, 3, 2 e 1. A Sul é limitada pela berma norte da estrada EN-6, marco 5 do farol de 1966, berma da estrada e uma linha recta que vai daqui ao marco 5 do farol de 1966.
Descrição- É uma pequena ilha com 17 km², que sofre inundações periódicas, pelo que o tipo de vegetação predominante são os mangais. A temperatura média anual é de 24.6°C e a humidade de 80%. Os meses mais frios são Julho e Agosto, com uma média de 20.7°C. Março é o mês mais quente, com 27.4°C.
Chove em média 54 dias por ano, num total de 449mm.

Existem poucos mamíferos, mas há muitos tipos de aves migratórias, palmípedes e pernaltas.

Elefantes



Hipopótamos

Reserva Parcial de Luiana

Origem - Estabelecido como Reserva Parcial a 17-09-1966.
Classificação - Reserva Parcial, IV.
Localização - Província de Cuando-Cubango, 550 km a sul de Menongue, Terras do Fim do Mundo. Faz fronteira com a Zâmbia e a Namíbia.
Área - Ocupa 8.400 km².
Limites Geográficos - 16 11' a 17 53' de Latitude Sul e 22 10' a 23 26' de Longitude Este.
Limites Naturais - Limitado a Norte pela Picada que vai de Bambangando, Simbundo, Chitangua, Cata até ao marco 17. Limitado a Leste pela linha de Fronteira com a Zâmbia do marco 17 até ao marco das 3 fronteiras. Limitado a Oeste por uma linha recta de Bambangando até ao marco 10 e a Sul pela linha da fronteira com a Namíbia do marco 10 até ao marco das 3 fronteiras.
Descrição - A Reserva contem planícies extensas e grandes pântanos, com uma altitude que vai dos 970 aos 1.024 metros. A temperatura média anual é de 20,6°C e a humidade de 77%. O mês mais frio é Julho, com uma média de 14,5°C, e o mais quente é Outubro, com 24,2°C. Chove em média 92 dias por ano e a humidade relativa é de 51%.
Os dois tipos de vegetação principais são a floresta aberta de árvores ricas em frutos secos e savana com algumas árvores, xanatos, dispersas.
Os Mamíferos existentes na Reserva são a onça, a hiena, o mabeco (Lycaon), o texugo, o leão, o elefante, o rinoceronte negro, o hipopótamo, a inhala (Kobus ellipsiprymnus - cabra de água), o puku , o chango (Redunca redunca), o topi, a impala, o oribi, o steenbok (Raphicerus campestris), o lechwe (Kobus leche), o búfalo e o olongo (Strepsiceros strepsiceros - kudu).

O avestruz (Struthio camelus) e o secretário (Bugeranus carunculatus) são as aves mais abundantes.
Palanca Vermelha




Mabecos

Reserva Búfalo

Origem - Estabelecida como Reserva Parcial a 05-04-1974.
Classificação - Reserva Parcial, IV.
Localização - A cerca de 30 km de Benguela, para sudeste.
Área - Ocupa 400 km².
Limites Geográficos - 12 42' a 12 55' de Latitude Sul e 12 37' a 13 58' de Longitude Este.
Limites Naturais - A Norte é limitada pelo Rio Benguela, Mungua e terrenos demarcados por Carlos da Silva. A Sul, pelo Rio Caimbambo, terrenos concedidos provisoriamente a Alberto Manuel, terrenos demarcados por Palmira Marques, terrenos concedidos provisoriamente a Maria Henrique, terrenos vagos, terrenos demarcados provisoriamente por Maria Adelaide, terrenos concedidos definitivamente a Carlos da Silva, terrenos demarcados provisoriamente por Agrícolas Portelas SARL. A Oeste pelos Rios Cavaco e Catengue.
Descrição - Com uma altitude que vai dos 380 aos 1.210 metros, apresenta uma topografia bastante irregular, com afloramentos rochosos. São quatro os rios que atravessam a reserva: Catumbela, Cavaco, Bungue, e Caimbambo. A temperatura média anual é de 23.5°C e a humidade de 77%. O mês mais frio é Julho, com uma média de 19.4°C, e o mais quente é Março, com 26.8°C. Chove em média 45 dias por ano, num total de 305mm.
Os principais tipos de vegetação são a floresta aberta, a savana com algumas árvores e arbustos, a anhara e a estepe com capim escasso e pequenos arbustos.
O búfalo negro (Syncerus caffer caffer) é o mamífero mais abundante. Existem também onças, chacais, hienas, leões, mabecos (Lycaon), hipopótamos, golungos (Traguelaphus scriptus), olongos (Strepsiceros strepsiceros - kudu), palancas vermelhas (Equinus de Hippotragus), bambis (Sylvicapra grimmia), javalis africanos (Potamochoerus porcus e Phacochoerus aethiopicus) e mandris (Papio ursinus) .


Welvitschia Mirabilis

Parque Natural Regional do Namibe

Origem - Estabelecido como Reserva Parcial por período limitado até a 31-12-1959, pelo Diploma Legislativo de 12-06-1957.
Classificação - Reserva Parcial, IV, desde 1960.
Localização- No extremo sul do país, perto da cidade costeira do Namibe.
Área - Ocupa 4.450 km². Perdeu 290 km² para a cidade do Namibe (antiga Moçâmedes) a 23-07-1973.
Limites Geográficos - 15 09' a 19 57' de Latitude Sul e 20 24' a 21 30' de Longitude Este.
Limites Naturais - Limitado a Norte pelos rios Bero e Cubal até ao Muol, a Leste pelos rios Atchinque e Curoca. A Oeste pela linha da costa entre a Foz do Rio Bero e a Foz do Rio Curoca.
Descrição - Ocupa uma área desértica com grandes dunas de areia, que termina em escarpas montanhosas. A temperatura média anual é de 20,6° C mas a escassa pluviosidade só permite a sobrevivência de plantas adaptadas ao deserto, como a welvitschia mirabilis.
Apesar do meio ser pouco propício à manutenção de fauna, são observados elefantes, olongos (Strepsiceros strepsiceros - kudu), rinocerontes negros e zebras da montanha.
Visitantes - Recebe visitantes desde 2002.



Reserva Parcial de Mavinga

Origem - Estabelecida como Reserva Parcial a 17-09-1966.
Classificação - Reserva Parcial, IV.
Localização - Província de Cuando-Cubango, 300 km para sul de Menongue.
Área - Ocupa 5.950 km².
Limites Geográficos - 15 09' a 19 57' de Latitude Sul e 20 24' a 21 30' de Longitude Este.
Limites Naturais - Limitado a Norte pela picada de Chondela até ao Rio Dima e a Leste pela linha de fronteira com a Zâmbia.
Descrição - Com uma altitude que vai dos 1.052 aos 1.228 metros a reserva estende-se por planíces de linhas suaves, cortadas pelos rios Kwando, Lombam, Cariei e Cueio. A temperatura média anual é de 20,6°C e a humidade de 77%. O mês mais frio é Julho, com uma média de 14,5°C, e o mais quente é Outubro, com 24,2°C. Chove em média 92 dias por ano e a humidade relativa é de 51%.
Os dois tipos de vegetação principais são a floresta aberta com algumas árvores dispersas de folha caduca e a savana seca, com capim e arbustos dispersos.
Os mamíferos existentes na Reserva são a onça, a hiena, o mabeco (Lycaon), o texugo, o leão, o elefante, o rinoceronte negro, o hipopótamo, a inhala (Kobus ellipsiprymnus - cabra de água), o puku , o chango (Redunca redunca), o topi, a impala, o oribi, o steenbok (Raphicerus campestris), o lechwe (Kobus leche), o búfalo e o olongo (Strepsiceros strepsiceros - kudu).

A ave mais comum é a avestruz (Struthio camelus).



O IUCN definiu seis categorias para classificação de áreas protegidas, por objectivos:

CATEGORIA Ia: Reserva Natural Restrita: Área protegida com fins científicos.
CATEGORIA Ib : Área Selvagem: Área protegida para preservação de condições naturais.
CATEGORIA II : Parque Nacional: Área protegida para preservação de eco sistemas e para recreio.
CATEGORIA III : Monumento Natural: Área protegida para preservação de características naturais específicas.
CATEGORIA IV : Área intervencionada para conservação de habitats ou espécies.
CATEGORIA V : Área Protegida para preservação do equilíbrio tradicional existente e para recreio.
CATEGORIA VI : Área Protegida para a manutenção sustentada de eco sistemas naturais.

Guidelines for Protected Area Management Categories (IUCN, 1994)





informação baseada em:
http://www.opais.net/pt/revista/?id=1639&det=6713&mid=
http://www.embaixadadeangola.org/cultura/turismo/set_tur.html
http://www.radnet.com.br/consuladodeangola/principalrcur.htm
http://www.ikuska.com/Africa/natura/parques/angola.htm
http://www.kissama.org/
IUCN (1994). Guidelines for Protected Areas Management Categories.
Atlas Geográfico - Volume 1, 1982, Ministério da Educação da RPA.
Nota: A ortografia utilizada nesta página foi baseada nas listas publicadas pelo Ministério da Coordenação Provincial da RPA.

Actualizado no dia 21 de Maio de 2012