CFB
Caminho de Ferro de Benguela
english

Caminho de Ferro de Benguela, numero 1



CFB: 1.301 Km de linha com mais de 100 anos de história
O Caminho de Ferro de Benguela é a única ligação ferroviária da África Central ao Atlântico. A sua construção, com origem numa Lei de Agosto de 1899, foi iniciada a 1 de Março de 1903 tendo ficado concluída a 2 de Fevereiro de 1929.
A 10 de Junho de 1931 chegou ao porto do Lobito o primeiro carregamento de cobre do Katanga.

Caminho de Ferro de Benguela, numero 365 -  Máquina a gasóleo de 1955  -  A maioria era a lenha, de eucalipto. Máquina a vapor

CFB: Variante do Cubal
Mais tarde, nos anos 70, foi construída a variante do Cubal. Considerando todas as variantes e desvios, a linha totaliza 1679km, subindo 1.854m nos primeiros 350km.

Ponte da Variante do Cubal

CFB: A maior plantação privada de eucaliptos do mundo
Propietária de 37.000 ha, utilizou 570.000 toneladas de madeira por ano, para gerar vapor, do Lobito à República Democrática do Congo.

Fogueiro numa Máquina GARRATT Lenha de Eucalipto

CFB: Reabilitação em fase de conclusão

A reabilitação do troço ferroviário entre Munhango e Luau arrancou em Fevereiro de 2009. A empreiteira chinesa China Railway 20 Bureau Group Corporation (CR-20) deverá terminar em breve os trabalhos e está previsto para o corrente ano de 2013 o comboio inaugural de passageiros do Lobito ao Luau. Recentemente, a 17 de Agosto de 2012, foi reinaugurada a ligação entre o Lobito e a cidade do Luena, no Moxico.

O Governo angolano investiu até à data cerca de dois mil milhões de dólares na reparação do Caminho de Ferro de Benguela, incluindo desminagem, reposição de linhas, construção de pontes e construção de estações.


Reconstrução em 12 anos

Há 12 anos atrás, em 2001, a Companhia do Caminho de Ferro de Benguela estava reduzida aos 34 Kms entre o Lobito e Benguela (Ramal de Benguela) e algumas linhas de acesso a armazéns e industrias do Lobito (Complexo do Lobito e cintura do Lobito - com aproximadamente 18 Kms).

Foi então anunciada a ligação do Lobito ao Cubal pela variante, 153 quilómetros sem passar por Benguela, para o primeiro trimestre de 2002 ... mas a ponte da variante do Cubal estava pior do que o previsto, e havia três pontes metálicas que não tinham sido consideradas... Falou-se depois em Agosto mas, em Novembro de 2002, a chegada ao Cubal foi adiada para Dezembro. Em Dezembro de 2002, o director geral do CFB, Daniel Quipaxe, declarou à Angop, que estava prevista a ligação entre as províncias de Benguela e do Huambo, para o primeiro semestre de 2003. Em Março foi anunciado novo adiamento, com as obras limitadas à colocação de brita e pedra, por falta de travessas. Só em Maio de 2003, engenheiros portugueses e técnicos angolanos começaram as obras de recuperação da ponte sobre o Rio Cubal, que ficaram concluídas sete meses depois, no dia 6 de Fevereiro de 2004. O tabuleiro, em betão pré-esforçado, possui seis tramos de 25 m. Um deles foi totalmente demolido e reconstruído, assim como um dos pilares de apoio. No dia 18 de Dezembro de 2004, foi reinaugurada a variante Lobito-Cubal que só arrancou definitivamente em Julho de 2005 devido a obras na ponte sobre o rio Halu, a 79 quilómetros da cidade do Lobito.

Em Novembro de 2005 Daniel Quipache, director do Caminho de Ferro de Benguela, anunciou o arranque, para Janeiro de 2006, da reabilitação efectiva do corredor ferroviário do Lobito ao Luau, com recurso a uma linha de crédito da República da China.

Esse crédito veio acelerar a reabilitação total, dos 1.301 quilómetros de linha até à província do Moxico, inserida no plano nacional ferroviário, inicialmente avaliado em 200 milhões de dólares e com conclusão prevista para 2012. O Plano, que contemplava a reparação de locomotivas e pontes, substituição de travessas, requalificação de estações e desminagem, mantinha, em 2005, quatro importantes projectos:


O projecto Calenga - Santa Iria, que restabeleceu o tráfego ferroviário entre a Caála e o Huambo, em 2002.
O projecto Lobito-Cubal, com uma extensão de 153 km, concluído em Dezembro de 2004, mas que só arrancou definitivamente em Julho de 2005.
O projecto Luena-Luau, em fase de conclusão.
O SITLOB - Sistema Interurbano de Transporte de Passageiros no Lobito e Benguela

Agora, com a ligação Lobito-Huambo inaugurada a 30 de Agosto de 2011 e a ligação ao Luena inaugurada a 17 de Agosto de 2012, está previsto para breve o comboio inaugural de passageiros do Lobito ao Luau, na fronteira com a Repúblicas do Congo Democrático (RDC).

Benguela-Lobito

A título de curiosidade:
O contrato de concessão de exploração, de 99 anos, atribuído à Companhia do Caminho de Ferro de Benguela SARL, terminou no dia 28 de Novembro de 2001, revertendo a favor do Estado angolano todos os meios fixos e circulantes da Companhia.

centenario do selo: 1870 - 1970 centenario do selo: 1870 - 1970 ( Angola Independente - 1975-11-11 )

Também a título de curiosidade:
Acima, selos comemorativos do centenário do selo, "vivem" a Independência de Angola.
Em baixo, à esquerda, o primeiro postal a cores da África Portuguesa: Ponte sobre o rio Catumbela ao km 272 - Alto Catumbela. A linha chegou aqui no ano de 1909
Em baixo, à direita: Estação do Alto Catumbela, para tantos moradores do Alto a primeira imagem que tiveram da "cidade".

Primeiro postal a cores, da África portuguesa. O Rio Catumbela, ao Km 272 ( Alto Catumbela ), no início do sec. XX Alto Catumbela - 268,8Km de linha - 1220m de altitude

A CFB possuiu as duas únicas máquinas Garratt a vapor a funcionar, em todo mundo ( Locomotivas 215 e 216 ), que se destinam a um futuro museu.



Em 1983 entraram em funcionamento 12 máquinas Diesel, compradas à General Eléctrica do Brasil links:
 CFB na Comunidade Virtual do Luau
 Caminhos de Ferro de Angola - Horários de Março de 2007 do CFB !!!
 The Garratt Locomotive
 The International Steam Pages - Steam in Africa 2009

Actualizada no dia 5 de Abril de 2013